RIBEIRÃO PRETO RECEBE EVENTO SIMULADO DE CATÁSTROFE E ATENDIMENTO A MULTIPLAS VÍTIMAS

Atualizado: 12 de ago.

O SAMU – Serviço de Atendimento Móvel de Urgência de Ribeirão Preto promoveu no sábado (14 de maio) mais uma edição do evento de Simulação de Catástrofe e Atendimento de Multiplas Vítimas.



A ação que envolveu cerca de 130 pessoas entre equipe do Corpo de Bombeiros e outras instituições públicas e privadas da cidade, simulava a queda de um palco próximo à piscina em uma festa universitária.


Ao todo foram 30 falsas-vítimas de gravidades variadas, entre elas afogados, eletrocutados, pisoteados e com traumas provocados pela queda da estrutura e escombros.

Os manequins – estudantes de universidades de medicina de Ribeirão Preto - foram maquiados de forma realística pela equipe de enfermagem da Atlas Centro de Treinamento, para provocar ainda mais veracidade ao socorro. Cada uma das vítimas estava acompanhada de uma “sombra”; outro aluno universitário que ficava com o relatório completo do estado de saúde e sequencia de atendimento ao paciente.




O cenário foi montado e, com os participantes preparados o socorro ao 192 e 193 foi acionado, assim como às instituições particulares da cidade. No chamado fictício, uma das estudantes universitárias que estava na festa mas não se feriu buscava ajuda para socorrer as dezenas de vítimas.




Os profissionais da saúde solicitados descobriam apenas na hora da chegada que se tratava de uma simulação.





Dando sequência ao atendimento como se fosse real, com uso de pranchas, mantas térmicas, até deslocamento de ambulâncias. As áreas de controle, posto médico e lonas para a triagem dos pacientes foram montadas e usadas seguindo o método START de salvamento. Sendo a equipe de BOMBEIROS é responsável pela segurança do local e comando da operação nas áreas consideradas quentes, o local do acidente.


A atividade que levou cerca de seis horas, desde a organização da área e manequins, até a reunião final para discutir o atendimento, tem como intuito explorar a capacidade das equipes em cenários de catástrofes, treinar os protocolos de atendimento e o ensino aos alunos universitários. Além de ser uma exigência anual do Ministério da Saúde.


As edições de 2020 e 2021 precisaram ser canceladas devido à pandemia de covid19. Segundo o SAMU, organizador do evento, os próximos passos são, ajustar os mecanismos de acionamento para uma maior agilidade no acionamento das equipes de APH, a compilação de todos os dados relativos às vítimas (triagem e atendimento) e uma reunião de debriefing com todos os envolvidos.


Tempo resposta acionamento:

Bombeiros 12 minutos

SAMU 23 minutos

Unimed 22 minutos

Entrevias 9 minutos

Hapvida e Medicar foram acionados via central do SAMU


CONFIRA O VÍDEO COMPLETO DO EVENTO DE SIMULAÇÃO EM NOSSO CANAL DO YOUTUBE:




2 visualizações0 comentário