VARÍOLA DO MACACO: UMA REALIDADE NO BRASIL

Atualizado: 12 de ago.

A 'monkeypox', conhecida como varíola do macaco é uma doença viral, transmitida principalmente por fluídos corporais.






O Ministério da Saúde confirmou recentemente 813 casos de varíola dos macacos no país. As notificações foram em maior número no estado de São Paulo. A partir dos primeiros casos apontados no Reino Unido, o monitoramento começou a ser feito também no Brasil.

A doença é causada por um vírus, e sua transmissão ocorre principalmente pelo contato pessoal e direto com secreções respiratórias, lesões de pele de pessoas contaminadas ou objetos infectados. Também há possibilidade de infeção mãe/bebê pela placenta, ou contato durante o parto.


Arnaldo Medeiros, secretário da Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde acredita estarmos vivendo o primeiro grande surto da doença em países não endêmicos, onde não há circulação sustentada do vírus.

A identificação e diagnóstico da doença foi feita pela primeira vez na década de 1960, em macacos. Por isso foi batizada no meio científico como “varíola do macaco”, não tendo o animal ligação exclusiva com o modo de transmissão e origem do vírus.




Ainda segundo o secretário Medeiros, a doença começa, quase sempre, com uma febre súbita, forte e intensa. O paciente também tem dor de cabeça, náusea, exaustão, cansaço e fundamentalmente o aparecimento de gânglios (inchaços popularmente conhecidos como "ínguas"), que podem acontecer tanto na região do pescoço, na região axilar, como na região perigenital. A manifestação na pele é chamada de papulovesicular uniforme, que são feridas ou lesões pelo corpo. O período de incubação varia entre seis e 13 dias. Todos estes sintomas devem ser observados com atenção. A orientação é sempre procurar o atendimento médico imediato. O diagnóstico da doença é realizado por teste molecular ou sequenciamento genético.




Logo que diagnosticado, o paciente deve fazer isolamento e cumprir com as orientações médicas. Entre os tratamentos, medicações para controle de temperatura, analgésicos e o cuidado com as possíveis feridas do corpo.


Como medida de enfrentamento, o Ministério da Saúde informou que estabeleceu fluxos de notificação, diagnóstico, assistência e instituiu as medidas de contenção e controle da doença além de tratativas para a aquisição da vacina monkeypox.



1 visualização0 comentário